Bahia

Associação de Bares e Restaurantes pede ao governo da Bahia redução do toque de recolher

De acordo com a associação, o ajuste oferece ao estado uma ação mais efetiva no seu poder de polícia, com foco nas aglomerações clandestinas.

Jornal do Sisal
camera_alt Edi Libedinsky/Unsplash

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – Bahia (Abrasel) divulgou uma carta com um pedido ao governo da Bahia a redução do toque de recolher decretado na maioria das cidades do estado. A entidade pede que a restrição comece uma hora e meia depois.

O decreto do governador Rui Costa (PT) é que não haja circulação de pessoas das 22h até as 5h, como foco na disseminação do coronavírus. A medida entrou em vigor nesta sexta-feira (19/2).

“Em mais um ato de sacrifício do segmento, estamos pleiteando que o toque de recolher seja ajustado para que tenha duração das 23h30 às 05h. Dessa forma, estaremos reduzindo a circulação de pessoas nas ruas, e principalmente reduzindo a movimentação do retorno para casa. Evitando picos e aglomerações no transporte público”, diz o texto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com a associação, esse ajuste oferece ao estado uma ação mais efetiva no seu poder de polícia, com foco nas aglomerações clandestinas.

“Temos a nítida noção da dimensão do momento que estamos atravessando. Assim como da importância dos empreendedores nos mais de 40.000 bares e restaurantes, dos cerca de 200.000 empregos diretos, e de toda cadeia produtiva envolvida, do agricultor familiar às grandes indústrias de alimentação e bebidas do Estado da Bahia, que notoriamente se encontram sacrificadas diante da realidade que nos atinge”, informou a Abrasel, que culpou também a redução de leitos hospitalares exclusivos para tratamento da Covid-19.