PUBLICIDADE
Brasil

Adolescente de 17 anos é apreendido por estupro e morte de menina de 15 anos

Milena Eduarda Deckert Schreiber morreu em 20 de setembro durante um almoço de confraternização alusiva ao Dia do Gaúcho

Jornal do Sisal
camera_alt Arquivo pessoal

Um adolescente de 17 anos foi apreendido pela polícia do Rio Grande do Sul suspeita de estuprar Milena Eduarda Deckert Schreiber, que morreu vítima do crime em setembro do ano passado. O crime aconteceu em Ijuí, no noroeste do estado.

O menor foi apreendido provisoriamente nesta segunda-feira (1/3), após a perícia encontrar material genético no corpo da vítima. Um laudo da perícia confirmou a compatibilidade. A polícia suspeita que a adolescente tenha sido dopada antes do crime devido a medicamentos serem identificados na urina da garota, mas a apuração não conseguiu esclarecer, no entanto, de que forma ela teria sido dopada. Com informações da GaúchaZH.

Milena participava de um almoço de confraternização alusiva ao Dia do Gaúcho, no interior do município. Ela foi levada pela mãe junto com sua irmã para a confraternização do grupo de danças tradicionalistas do qual participava. Outros adolescentes participavam do evento.

PUBLICIDADE

Depois da confraternização, a a vítima foi encontrada desacordada e com grave hemorragia. Ela foi socorrida, mas não resistiu.

Ao ser apreendido, o menor acusado do crime foi encaminhado para a uma unidade da Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase). A família da vítima acredita na sentença.

“Com a apreensão dele, abriu prazo de três dias para apresentar e defesa prévia. Vai arrolar testemunhas para serem ouvidas nesses 45 dias ou mais. Se não for concluído dentro desse prazo há probabilidade de ele ser liberado, mas não absolvido. Vai responder em liberdade até ter sentença definitiva. Para a família não há dúvida nenhuma de que ele foi o autor do estupro e homicídio”, disse o advogado da família da vítima.

Ao portal gaúcho, a defesa da vítima enviou uma nota na qual considera a apreensão descabida e afirma que o adolescente sempre esteve à disposição da Justiça e que pedirá o fim do segredo de Justiça para poder se manifestar sobre o caso.