Brasil

Bolsonaro pede que governo divulgue os ‘perigos’ das vacinas contra a Covid-19

Ele pediu para Pazuello que comece “a mostrar o que seria a bula desse medicamento”.

Micael Levi
camera_alt Pedro Ladeira/Folhapress

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) revelou em entrevista a TV Band que pediu para governo mostrar os perigos da vacina contra a Covid-19. Ele junto com o ministro da Saúde Eduardo Pazuello apresentam nesta quarta-feira (16/12), o plano nacional de imunização.

Ainda segundo a entrevista, ele pediu para Pazuello que comece “a mostrar o que seria a bula desse medicamento”. “Eu comecei a conversar com Pazuello para ele começar a mostrar o que seria a ‘bula’ desse medicamento. E lá no meio dessa bula está escrito que a empresa não se responsabiliza por qualquer efeito colateral. Isso acende uma luz amarela. A gente começa a perguntar para o povo: você vai tomar essa vacina, se as condições são essas?”, disse.

O chefe do Executivo ainda continuou defendendo medicamento para tratamento da doença respiratória sem comprovação científica, como hidroxicloroquina e ivermectina, atribuindo ao “baixo número de mortes” a países do continente africano que “usaram esses medicamentos”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Bolonaro ergue cloroquina como troféu – Igo Estrela/Metropóles

“Alguns falam que não tem comprovação científica, eu sei disso, mas não tem contraindicação. Está aí à disposição. Tem gente que toma preventivamente. (…) Eu não sou contra a vacina, mas sou plenamente favorável a esse tratamento preventivo que a gente tem no Brasil”, afirmou.

Nesta quarta, Bolsonaro junto com Pazuello apresentam o plano nacional de imunização com as fases e datas de início e término da vacinação. O anúncio acontece após o Ministério da Saúde informar ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o início da vacinação no Brasil será depois que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar um imunizante.


Opinião do autor

Tentando mostrar através do governo uma campanha contra a vacinação, o presidente alimenta o negacionismo dos seus apoiadores e desencoraja a população, criando teorias sem comprovação. Ele bate na mesma tecla apresentando medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19. Enquanto estimula a política junto com a vacina, o atraso da vacinação a população faz vítimas diárias do vírus no Brasil.