PUBLICIDADE
Brasil

Dono da representante da Sputnik V no Brasil acusa Anvisa de complô político

A mensagem foi enviada originalmente para o empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan e pode ter chegado ao presidente Jair Bolsonaro.

Micael Levi
camera_alt Agustin Marcarian/Reuters

O dono da farmacêutica União Química, que faz representação da vacina Sputnik V contra Covid-19 no Brasil, gravou um áudio indignado acusando a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de envolver política na escolha das vacinas.

Segundo o jornal Estado de S.Paulo, a mensagem que tem pouco mais de 2 minutos, foi enviada originalmente para o empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan e pode ter chegado ao presidente Jair Bolsonaro.

No áudio, o dono da farmacêutica, Fernando Marques, disse que há um complô político para favorecer o Instituto Butantã e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ambos vendem vacinas contra a doença respiratória ao Ministério da Saúde.

PUBLICIDADE

“Eles querem manter a coisa com a Fiocruz e com o Instituto Butantã. Butantã na mão do [João] Doria e Fiocruz na mão do PT, PCdoB. E, porra, não tem vacina, o povo tá morrendo”, afirma Marques.

Ele ainda afirmou que foi humilhado pelo presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, na semana passada. “É uma loucura. Eu estive com o Barra na semana passada. Ele só faltou me mandar acompanhar até o carro. Fui humilhado. Parece que é um criminoso alguém que quer trazer a vacina ao Brasil, que está sendo usada pelos russos, independente, em mais de 40 países”, diz.

A vacina russa Sputnik V ainda não recebeu aprovação para o uso emergencial tampouco registro definitivo.

Abaixo, a transcrição do áudio de Marques obtido pelo jornal Estado:

“Presidente, boa noite, é Fernando Marques, sou empresário da área farmacêutica. Minha empresa faz 85 anos. E vão (sic) fazer 50 anos que trabalho na minha empresa.

Estamos vivendo um período de guerra, de guerra. A população está morrendo. A vacina russa, perdi 10 milhões que iam chegar no primeiro trimestre. Não me deram autorização nem emergencial. Negam que pedi isso lá dentro da Anvisa.

Protocolo eletrônico, eles só aceitam protocolo eletrônico e não estão reconhecendo protocolo eletrônico. Eles querem manter a coisa com a Fiocruz e com o Instituto Butantã.

Butantã na mão do Doria e Fiocruz na mão do PT, PCdoB. Entendeu? E, porra, não tem vacina, o povo tá morrendo. E para esse trimestre a Rússia se comprometeu em embarcar 10 milhões. Entre abril e maio. Porém, se não sair a emergencial, que eles alegam que eu não entrei, e eu tenho comprovante eletrônico que entrei com o pedido. Dia 14 de janeiro. E eles suspenderam a análise. E eles negam que entrei. É uma coisa surreal. Entendeu? Passando informação eles não aceitam ela documentalmente, só fica eletronicamente, isso desaparece. E fala que não entrego nada. É surreal o que to passando. E esse povo não tem coração, matando as pessoas por falta de vacina. É uma loucura. Eu estive com Barra na semana passada. Ele só faltou.. me mandou acompanhado até o carro, fui humilhado, parece que é um criminoso, alguém que quer faze e trazer vacina ao Brasil, que tá sendo usada pelos russos, independente.. em mais de 40 países. Não estamos falando de coisa política não, é realidade. Olha o que tá acontecendo, não pode ficar dessa forma. É uma coisa surreal, não sei mais o que fazer.”

  • Notícias sobre