Brasil

Mulher que fazia aula de dança reage com tapas e chutes após homem invadir casa e tentar agarrá-la, no Paraná

Caso ocorreu em Paranaguá, no litoral do estado. Após susto, Angela Gonçalves publicou o flagrante nas redes sociais. Suspeito não foi localizado.

Jornal do Sisal
camera_alt Arquivo pessoal

Por G1

Um homem invadiu a casa de uma mulher e tentou agarrá-la enquanto ela gravava um vídeo de uma aula de dança, e ela reagiu com tapas e chutes, em Paranaguá, no litoral do Paraná.

O caso aconteceu na quarta-feira (17/2). Após o susto, a técnica de enfermagem Angela Maria Gonçalves, de 39 anos, fez um boletim de ocorrência e publicou o flagrante no Facebook.

Nas imagens, é possível ver Angela dançando quando uma pessoa se aproxima do portão, entra no quintal, observa a mulher, tira os chinelos, invade a casa e tenta segurá-la.

Assustada, as imagens mostram Angela retirando o homem do local com agressões.

Até esta terça-feira (23/2), a publicação tinha mais de 1,5 milhão de visualizações e 19 mil compartilhamentos.

“Enquanto gravava aulas de dança, um meliante aparece no portão, vigia e entra sorrateiramente. (…) Nessa, meu instinto dócil de pitbull, sento a porrada”, disse ela na postagem.

Reação

Ângela disse que estava em casa com a filha de 11 anos. Ela estava na sala fazendo a aula de dança pela internet, e a filha estava no cômodo ao lado.

Ela contou que levou um susto com o desconhecido dentro de casa, pois estava prestando atenção à aula.

“Eu fiquei muito confusa quando vi um completo desconhecido entrando na minha casa. Eu até sorrio, sem entender o que estava acontecendo, mas depois eu senti que estava em risco, que ele estava ali porque podia fazer alguma maldade, e reagi”, relatou ela.

Ela disse que nem o cachorro da família, que é idoso, também não reagiu ao estranho dentro do terreno.

Depois da invasão, o homem fugiu correndo e, até a manhã desta terça-feira (23/2), não havia sido localizado.

“Nenhum vizinho conhece ele. Meu marido também andou pela vizinhança e ninguém encontrou mais ele”, afirmou.

A mulher registrou um Boletim de Ocorrência (B.O.) na Polícia Civil de Paranaguá, também no litoral do estado.

A Polícia Civil informou que investiga o caso.

A orientação da polícia é que as vítimas de crimes não reajam, e prezem pela vida. A recomendação é que liguem para o 190 quando for possível.

Medo

Ângela afirmou que mora na casa há um ano, e que nunca teve nenhum problema no local. Depois do incidente, no entanto, ela afirmou que está com medo.

“Estamos assustados. Vamos até usar um dinheiro que não temos para investir em segurança na casa”, contou.

  • Notícias sobre