Brasil

Sétimo caso da varíola dos macacos é confirmado no Brasil

O paciente está em isolamento domiciliar e em monitoramento.

camera_alt Reprodução/O Povo

O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (17/6), que o Brasil confirmou o sétimo caso da varíola dos macacos. O Paciente é do Rio Grande do Sul e o exame foi confirmado pelo Instituto Adolf Lutz.

De acordo com a pasta, trata-se de um homem de 34 anos, com histórico de viagem para Europa, apresentando quadro clínico estável. Ele está em isolamento domiciliar e sendo monitorado pelas Secretarias de Saúde do Estado e Município.

Com isso, o Brasil registra sete casos confirmados da doença, também conhecida como Monkeypox, sendo quatro em São Paulo, dois no Rio Grande do Sul e um no Rio de Janeiro. Até o momento, o ministério investiga nove casos suspeitos.

O que é a varíola do macaco?

O vírus foi identificado pela primeira vez na República Democrática do Congo em 1970 e foi declarado erradicado em 1980. Até então, os casos surgiam na Europa e na América porque estavam associados a viagens ao continente africano.

O que intriga os cientistas agora é o surgimento de infecções em pessoas que não viajaram para o continente e nem tiveram contato com viajantes.

O infectologista do Hospital das Clínicas da USP, Álvaro Furtado, explica que a varíola que causa uma doença mais grave foi erradicada e não circula mais nos humanos.

“O único jeito de usar o vírus hoje seria como arma biológica – até tivemos medo, com a guerra na Ucrânia, de que isso poderia acontecer”, disse Furtado.

Ele também explica que existem outros vírus de varíola, não só em macacos, mas em animais silvestres, podendo o homem se contaminar ao entrar em contato com esses animais. O que intriga os estudiosos, segundo ele, é a disparada de casos na Europa que não tem muita relação somente com o contato com animal.

Quais os sintomas?

Os principais sintomas da varíola do macaco são:

  • febre;
  • dor no corpo;
  • aparecimento de lesões semelhante a bolhas de água

O Jornal do Sisal tem feito um jornalismo revolucionário na região. Esta informação tem chegar a todos. Pedimos, por gentileza, que compartilhe este conteúdo com todos os seus familiares e amigos e siga o portal nas redes sociais.

Compartilhar no WhatsApp