Brasil

“Só Deus me tira da cadeira presidencial”, diz Bolsonaro sobre determinação do STF a Lira

Cármen Lúcia ordenou a explicação de Lira para não analisar pedidos de impeachment contra o presidente

Da Redação
camera_alt Pablo Jacob/Agência O Globo

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), explique a não análise de pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Em sua tradicional transmissão ao vivo que acontece as quintas-feiras em suas redes sociais, Bolsonaro se posicionou sobre a decisão da Cármen Lúcia afirmando que “só Deus me tira da cadeira presidencial”, que tirando isso o que está acontecendo no país em relação a ele “não vai se concretizar”.

“Realmente eu acho que alguma coisa de errado ou de muito errado vem acontecendo há muito tempo no Brasil, vamos ver se processa a informação e vamos ver qual é o encaminhamento que o Arthur Lira vai dar no tocante a isso, se vão abrir processo ou não”, disse.

“Eu não quero me antecipar, falar o que eu acho sobre isso aí. Só digo uma coisa, só Deus me tira da cadeira presidencial, e me tira, obviamente, tirando a minha vida. Fora isso, o que nós estamos vendo acontecer no Brasil, não vai se concretizar, mas não vai mesmo”, acrescentou.

Cármen Lúcia ordenou a explicação de Lira decorrente a uma ação movida por um advogado que cobrava o presidente da Casa Legislativa a análise dos processos contra o mandatário. Lira tem cinco dias para respondê-la.

A diversos pedidos de impeachment para avaliação de Lira, aliado ao governo Bolsonaro, mas a Constituição não dá prazo para que haja qualquer deliberação.