Ampla Visão

Covid-19: Região do Sisal tem 28 mortes e registra mais de 1.400 casos confirmados

É notável que o pico de infecções chegou a região. O número de mortes desde o último balanço realizado pelo Consisal registrou aumento.

Micael Levi
camera_alt Equipes da Vigilância Sanitária de Monte Santo realizando a aferição de temperatura – Reprodução/ASCOM-PMMS/Jornal do Sisal

Nesta sexta-feira (26/06), a Região do Sisal registrou 1.404 casos confirmados de Covid-19, doença causada pelo vírus Sars-Cov-2 (coronavírus). Os dados foram divulgados pelas secretarias de Saúde dos 20 municípios que compõem a região e somados pelo Jornal do Sisal.

A cidade com mais altos números é Serrinha, que nesta sexta chegou a 303 casos da infecção respiratória, seguido de Valente, com 181. As outras cidades que ultrapassaram os 100 casos de coronavírus foram Conceição do Coité, Araci e Teofilândia. É notável que o pico de infecções chegou a região.

O número de mortes desde o último balanço realizado pelo Consisal (Consórcio Público de Desenvolvimento Sustentável do Território do Sisal) registrou aumento. Foram 5 novas mortes, contabilizando 28 óbitos. Só em Cansanção ocorreram duas mortes em decorrência da Covid-19 em 24 horas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mais cedo, a prefeitura de Nordestina informou que foi registrado o primeiro falecimento. O idoso tinha 65 anos e apresentava histórico de hipertensão e cardiopatia e estava internado em Salvador. “Mais do que nunca reforçamos a necessidade das medidas de isolamento social, tendo em vista que o momento é crítico, de elevação dos números de casos e de óbito”, informou a nota publicada pelo órgão.

Entre os infectados, 556 pacientes são considerados curados. Os municípios seguem o mesmo protocolo da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) e do Ministério da Saúde para identificar os recuperados da doença. Aqueles que receberam alta dos leitos de hospitais ou obedeceram o isolamento social e após o segundo exame da doença dá negativo, esses são os curados.

Reprodução/ASCOM-PMMS/Jornal do Sisal

Os altos números registrados em Conceição do Coité fez com que a prefeitura publicasse um decreto que determina fechamento do comércio não essencial por 14 dias e funcionando da indústria com 50% da capacidade. As novas medidas entram em vigor na próxima segunda-feira (29/06).

Ichu é a única cidade na região sem números de casos, mas há um paciente com suspeita. Mesmo sem infecções, o índice de isolamento social na cidade é o mais que esperado. Segundo a empresa InLoco, o município baiano tem a taxa de 41.6%, considerado razoável.

A primeira infecção por coronavírus na RSBA aconteceu no dia 25 de março em São Domingos. O idoso que tinha chegado de São Paulo, teve sua amostra colhida e levada para o Laboratório Central da Bahia (Lacen-BA) onde testou positivo. Atualmente seu caso está entre os curados, segundo a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab).

Já a primeira morte aconteceu em Araci e foi noticiada primeiramente pelo governador do Estado, Rui Costa (PT), numa entrevista a um telejornal baiano no dia 08 de abril. A vítima tinha 76 anos. Foi a 16ª morte em decorrência da Covid-19 no estado na época em que tinha 497 casos confirmados.

A Bahia, no mais recente boletim da Sesab, acumula 56.422 casos confirmados desde o início da pandemia, tendo 1.642 óbitos confirmados. A unidade federativa tem entre os infectados, 31.192 curados e 23.588 pacientes ativos. Dos 2.181 leitos disponível para tratamento da Covid-19 no estado, 1.371 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de 64%. As confirmações ocorreram em 369 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (49,88%).

Já o Brasil chegou nesta quinta-feira (27/06), a primeira posição dos países com mais números de curados do mundo, segundo a Universidade Johns Hopkins, que monitora a doença nos países. Entre o 1.274.974 caso confirmado, 697.526 são considerados curados, enquanto 521.487 permanecem em acompanhamento. Desde o início da pandemia, o país acumula 46.860 óbitos. Foram 990 novos óbitos segundo o recente balanço do Ministério da Saúde divulgado na noite desta sexta. A taxa de letalidade é de 4,4%.