Economia

Bolsonaro sobre auxílio emergencial: “O brasileiro quer é trabalho”

“Ninguém quer o país quebrado”, afirmou o presidente em Alcântara (MA), ao comentar o trabalho da equipe econômica e de parlamentares para renovar a ajuda financeira à população vulnerável

camera_alt Jorge William/Ag. O Globo

O presidente Jair Bolsonaro participou na manhã desta quinta-feira (11/02) da entrega de títulos de propriedade rural no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão. Em meio ao discurso, o chefe do Executivo afirmou que a equipe econômica estuda a continuidade do auxílio emergencial, mas destacou que a medida não pode ser eterna e que representa maior endividamento ao país. Ele emendou que ‘o povo quer, na verdade, é trabalho’.

“No momento, a nossa equipe juntamente com parlamentares, estudamos a extensão por mais alguns meses do auxílio emergencial que, repito, o nome é emergencial. Não pode ser eterno porque isso representa um endividamento muito grande do nosso país. E ninguém quer o país quebrado. E nós sabemos que o povo brasileiro quer, na verdade, é trabalho. E juntamente com essa bancada, juntamente com a equipe econômica, cada vez mais nós facilitarmos a vida de quem trabalhar, bem como quem quer empregar”, apontou.

Bolsonaro também falou das ações do governo no estado nordestino. Apesar de citar que a região foi a que menos votou nele nas eleições em 2018, o presidente alegou que o governo “não olha no mapa” a quantidade de votos para distribuição de recursos.

“Ano passado, prezados moradores de Alcântara, o governo federal dispensou R$ 18 bilhões para o estado do Maranhão. A gente não olha no mapa para saber se eu fui ou não bem votado no estado. Aqui, eu fui o último estado no tocante à votação, levando-se em conta a proporcionalidade. Mas aqui, todos nós, votando ou não em mim, somos iguais. Somos brasileiros, temos necessidade e queremos evoluir cada vez mais”, completou. Com informações do Correio Brazieliense.