PUBLICIDADE
Economia

Caminhoneiros ameaçam paralisação em fevereiro por insatisfação com medidas do governo

“Nas rodovias, só vai passar ônibus e carro pequeno. Caminhão não passa”, diz o representante de classe.

Jornal do Sisal
camera_alt Hélvio Romero/Estadão

Os caminhoneiros ameaçaram começar uma nova paralisação no dia 1º de fevereiro por insatisfação com medida adotadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), como o projeto BR do Mar, que incentiva a cabotagem. A decisão foi tomada na Assembleia Geral Extraordinária do Conselho Nacional de Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), realizada nesta terça-feira (5/1).

A principal reivindicação da categoria é contra a alta no valor dos combustíveis, considerada abusiva. Os caminhoneiros também buscam, entre outras pautas, o estabelecimento de um piso mínimo de frente para o transportador autônomo, aposentadoria especial, marco regulatório do transporte e uma fiscalização mais atuante da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Segundo o Sindicato dos Transportadores Autônomos de Bens de Feira de Santana e Região (Sintracam), a orientação é que no dia 1º de fevereiro os caminhoneiros fiquem em casa. “Nas rodovias, só vai passar ônibus e carro pequeno. Caminhão não passa”, diz o representante de classe.

PUBLICIDADE

  • Notícias sobre