Entretenimento

Pedro Bial faz críticas a ‘Democracia em Vertigem’ e é detonado

Bial ainda disparou que o documentário indicado ao Oscar”É uma ficção alucinante. É mais que maniqueísmo, é uma mentira”, afirmou.

Jornal do Sisal
Reprodução

Por Micael Levi

O apresentador Pedro Bial criticou o documentário ‘Democracia em Vertigem’, de Petra Costa, nesta terça-feira (04/02/2020) durante uma entrevista ao programa Timeline, da Rádio Gaúcha.

“Achei muito engraçado o filme [Democracia em Vertigem]. É um non sequitur [inconsistência lógica] atrás do outro”, criticou ele. “Ela fica choramingando o filme inteiro… É um filme de uma menina dizendo para a mamãe dela que fez tudo direitinho, que ela está ali cumprindo as ordens e a inspiração de mamãe, somos da esquerda, somos bons, nós não fizemos nada, não temos que fazer autocrítica. Foram os maus do mercado, essa gente feia, homens brancos, que nos machucaram e nos tiraram do poder, porque o PT sempre foi maravilhoso e o Lula é incrível”, completou ele, em referência à aparição da mãe de Costa, que lutou contra a ditadura militar.

Bial ainda disparou que o documentário indicado ao Oscar”É uma ficção alucinante. É mais que maniqueísmo, é uma mentira”, afirmou.

O apresentador da Globo foi criticado por muitos após sua fala.

Jornalista Ricardo Noblat: “Só Faltou Pedro Bial chamar Petra Costa de ‘pirralha’. Documentário é um ponto de vista do autor. Você pode concordar com o ponto de vista ou não. O que está em julgamento é a qualidade do documentário, que foi escolhido para disputar o Oscar. Não é pouca coisa”

Crítico de cinema Pablo Villaça: “Bial diz que Democracia em Vertigem é uma obra de ficção. Desafio o jornalista a explicitar quais seriam as tais “mentiras” do filme. Não estou falando sobre suas interpretações do que é relatado, mas dos fatos em si. Mas o que mais me incomodou – aliás, digo mais: revoltou – foi Bial dizer que ‘é uma menina querendo dizer para a mamãe dela que ela fez tudo direitinho, que ela está ali cumprindo as ordens de mamãe, a inspiração de mamãe’. Isso, além de estúpido, é de um sexismo colossal. Eu duvido que se o filme tivesse sido dirigido por um homem, Bial tentaria atacar o realizador dessa maneira. Ele usa dois clichês misóginos ao mesmo tempo: o de que as mulheres não são capazes de pensar por conta própria e o que precisam da aprovação alheia”