Esporte

Caso Ronaldinho: três funcionários envolvidos em escândalo são presos

A informação foi dada pelo promotor Federico Delfino na manhã desta terça (10/03/2020).

Jornal do Sisal
NORBERTO DUARTE / AFP

Por Micael Levi

A Justiça do Paraguai informou que três funcionários da Direção Nacional de Aeronáutica Civil (DINAC) e da Migração no Paraguai, foram presos nesta terça-feira (10/03/2020) envolvidos no caso dos passaportes adulterados do ex-jogador brasileiro Ronaldinho Gaúcho e seu irmão

A informação foi dada pelo promotor Federico Delfino nesta manhã. Os identificados como Shirley Delvalle, Rosa Carolina Miranda e José Gustavo Molinas. “Eles tinham o passaporte dominicano de Ronaldinho e seu irmão. E as migrações selaram seu passaporte ”, disse Delfino.

Ronaldinho e seu irmão, Roberto de Assis, foram presos no país por entrar com documentos falsos ao ingressar país desde a última sexta-feira (06/03/2020). Eles estão presos na Agrupácion Especializada da Policia Nacional, em Assunção. Gaúcho tem uma audiência de revisão de medidas que acontece na manhã desta terça-feira, diante do juiz pena de garantias, Gustavo Amarilla. Nenhum dos dois participa do tribunal, apenas cinco dos seus advogados no caso.

O ex-astro brasileiro, no ano passado foi nomeado embaixador do turismo do governo do Brasil. Ele foi convidado ao Paraguai pelo proprietário de um cassino local e chegou na quarta-feira para participar de eventos no país.