Justiça

Criança de 10 anos realiza aborto de gêmeos após ser estuprada por padastro

A interrupção da gestação em caso de estupro é garantida pelo artigo 128 do Código Penal.

Jornal do Sisal
camera_alt

Uma criança de 10 anos realizou um aborto de gêmeos em um hospital de Governador Valadares, a 319 km de Belo Horizonte, após ser estuprada pelo padrasto. O delegada do caso autorizou a interrupção da gravidez de 14 semanas solicitado pela mãe da criança.

Segundo a mãe da menor, o relacionamento com o homem durou quatro anos e nesse período sua filha era abusada. Ao saber do estupro, o casal discutiu e o homem fugiu em uma bicicleta. O suspeito foi preso por outro crime em Resplendor (MG), a 440 km da capital mineira.

O caso foi descoberto na última terça-feira (19/1) depois da mãe descobrir a gravidez da menina. “A Justiça tem que ser feita, a de Deus e a dos homens. Porque a gente também não pode fazer Justiça com as próprias mãos”, disse o avô da menina.

A interrupção da gestação em caso de estupro é garantida pelo artigo 128 do Código Penal.

  • Notícias sobre