Justiça

Justiça determina que Flordelis use tornozeleira eletrônica e não saia a noite

Na decisão, a juíza relembrou as inúmeras tentativas de Flordelis de atrapalhar as investigações

Micael Levi
camera_alt Cláudio Andrade/Câmara dos Deputados

A juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, determinou que a deputada federal, Flordelis dos Santos de Souza use tornozeleira eletrônica e fique em recolhimento noturno das 23h às 6h.

A magistrada negou o pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro de afastar a parlamentar do cargo. Ela é acusada de ser a mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, mas não pode ser presa por conta da imunidade parlamentar.

Na decisão, Nearis relembrou as inúmeras tentativas de Flordelis de atrapalhar as investigações para embasar a necessidade de monitoramento por tornozeleira. De acordo com a juíza, o dispositivo ajudará na fiscalização do cumprimento de outras medidas cautelares como proibição de ter contato com testemunhas e outros réus do processo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com o jornal Extra, os requerimentos de afastamento do cargo e monitoramento por tornozeleira eletrônica já tinham sido feitos pelo MP no fim de agosto, mas foi negado por Nearis.

Na decisão ainda, a juíza Nearis dos Santos também determinou que o filho biológico da deputada, Adriano dos Santos Rodrigues, fosse transferido para a prisão de segurança máxima Laércio da Costa Pellegrino, conhecida como Bangu 1, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio.

Ainda segundo o jornal, a solicitação foi feita por suspeita que Adriano estava se comunicando com Flordelis. Na semana passada ela negou o pedido da defesa para Adriano responder o processo em liberdade.