Justiça

Tribunal de Justiça na Bahia contabiliza 3 óbitos provocados pela Covid-19

A vítima era uma terceirizada e atuava na Coordenação de Execução Orçamentária e Financeira do TJ. Ela foi afastada imediatamente da entidade.

Micael Levi
camera_alt Divulgação/TJ-BA

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) registrou nesta terça-feira (21/7) a terceira morte provocada pela Covid-19, doença respiratória provocada pelo novo coronavírus. De acordo com o tribunal, a vítima foi identificada como Suelena Lopes Verde e veio a óbito no último domingo (12/7).

Ela atuava na Coordenação de Execução Orçamentária e Financeira do TJ através de uma empresa terceirizada, e trabalhou até o dia 7 de julho, no próximo dia foi atendida no posto médico sendo atendida e recomendada a se tratar em casa. Ela foi afastada imediatamente da entidade.

O TJ informou que nesse período ela não apresentou nenhum mal estar. “Somente no dia 15/07/2020 a filha da terceirizada encaminhou e-mail com informativo do hospital, dando notícia de que a colaboradora estava internada, motivo pelo qual todos os servidores da unidade em que desempenhava suas atividades foram devidamente submetidos a testes, cujos resultados foram negativos”, informa o tribunal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com isso, o tribunal passa a registrar três óbitos em decorrência da doença respiratória, sendo um juiz em Jequié e uma outra mulher terceirizada. Houve 93 funcionários diagnosticados com a Covid-19. Como medida de prevenção aos demais, os infectados são de imediato afastados e “submetido a protocolo de acompanhamento, nos termos propostos pelas unidades de saúde mencionadas”, afirmou a Corte.

Em relação aos terceirizados, o TJ informa que é a empresa contratada que fornece os equipamentos de proteção (EPIs). A entidade ainda afirmou que segue os protocolos considerados padrões como a oferta de álcool em gel em seus ambientes internos e uso obrigatório de máscara de proteção.

  • Notícias sobre