Mundo

Jovem atropelado em março de 2020 acorda após coma e não sabe da pandemia

Joseph Flavill, 19, sofreu uma lesão cerebral traumática depois de ser atropelado em Staffordshire, na Inglaterra. Ele já contraiu o novo coronavírus duas vezes, embora não saiba nada sobre a doença ou a pandemia

Da Redação
camera_alt Sally Flavill Smith/Arquivo pessoal

O jovem Joseph Flavill, 19, despertou após ficar em coma por 10 meses e ainda não sabe nada sobre a pandemia de Covid-19. Ele sofreu uma lesão cerebral traumática em 1º de março de 2020, depois de ser atropelado por um carro em Staffordshire, Inglaterra, três semanas antes de o Reino Unido anunciar um bloqueio nacional para conter a pandemia de Covid-19.

De acordo com o jornal The Guardian, o universitário foi imediatamente hospitalizado por lesão cerebral, mas Joe não se lembra de nada do que aconteceu, tampouco sabe que contraiu o novo coronavírus duas vezes — uma durante o coma e outra após acordar. Ele já se recuperou das duas infecções.

A tia do garoto, Sally Flavill Smith, tem acompanhado a reabilitação dele de perto e disse que ainda não sabe como contar sobre a pandemia. “Só não sei por onde começar. Um ano atrás, se alguém tivesse me contado o que iria acontecer no ano passado, acho que não teria acreditado. Não tenho ideia de como Joseph vai entender o que todos nós passamos”, relatou ao The Guardian.

Joe acordou recentemente após ficar internado no hospital Leicester General. Segundo Smith, o rapaz ficou dias com os olhos abertos, porém sem falar com ninguém. Ele foi transferido para o centro de atendimento Adderley Green, onde deve continuar a recuperação.

Há pouco tempo, Joe começou a mexer os membros quando solicitado e se comunica com a família e amigos por meio de piscadas e sorrisos. Apesar do estado letárgico, o jovem conseguiu ver o restante da família por chamada de vídeo.

“Quando ele está acordado em seu quarto, ele não vai ter a menor ideia de por que está lá. Falamos sobre isso por telefone e tentamos alertá-lo de que realmente queremos estar ali segurando suas mãos, mas simplesmente não podemos fazer isso (por conta da pandemia)”, disse Smith.

A tia explica que os familiares estão tentando introduzir aos poucos os esclarecimentos sobre a pandemia. “Mas tentamos manter o assunto da forma mais simples possível. Quando ele realmente puder ter um contato cara a cara, essa será a oportunidade de realmente tentar explicar a ele o que aconteceu”, contou.

Recuperação

O jovem já consegue responder a alguns testes de cognição, como tocar partes do corpo quando solicitado ou responder perguntas dicotômicas com os olhos. “Ainda temos uma longa jornada pela frente, mas os passos que ele deu nas últimas três semanas foram absolutamente incríveis”, comemorou a tia.

Em dezembro, Joe completou 19 anos no hospital e, como presente, recebeu a visita de sua mãe, Sharon, mesmo em estado de coma. “Acho que ela se sentiu muito triste porque não tinha certeza de que Joseph poderia sequer ver quem ela era. Ela estava esperando há meses para ir vê-lo”, afirmou Smith.

Antes do acidente, Joe praticava hóquei e era candidato a receber o prêmio de ouro Duque de Edimburgo por sua performance. A família dele conseguiu arrecadar 32 mil libras (equivalente a R$ 234 mil) para custear o tratamento a longo prazo. Com informações do UOL.