Política

Bolsonaro insulta repórter com insinuação sexual

A declaração do presidente foi uma referência ao depoimento de um ex-funcionário de uma agência de disparos de mensagens em massa por WhatsApp,

Jornal do Sisal
Sérgio Lima/Poder360

Por Micael Levi

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) insultou a jornalista Patrícia Campos Mello da Folha de S. Paulo, nesta terça-feira (18/02/2020), em entrevista na saída do Palácio da Alvorada diante de um grupo de simpatizantes.

“Ela [repórter] queria um furo. Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim [risos dele e dos demais]”, disse o presidente.

A declaração do presidente foi uma referência ao depoimento de um ex-funcionário de uma agência de disparos de mensagens em massa por WhatsApp, dado na semana passada à CPMI das Fake News no Congresso.

O depoimento à comissão foi de Hans River do Rio Nascimento, que trabalhou para a Yacows, empresa especializada em marketing digital, durante a campanha eleitoral de 2018.

Em nota, o jornal paulista disse que a declaração do presidente ataca todo o jornalismo profissional. “O presidente da República agride a repórter Patrícia Campos Mello e todo o jornalismo profissional com a sua atitude. Vilipendia [despreza] também a dignidade, a honra e o decoro que a lei exige do exercício da Presidência”.