Política

Bolsonaro manda recado para João Doria: “Vacina é do Brasil, não é de nenhum governador”

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante uma coletiva de imprensa, criticou o governador João Doria e chamou a ação de “jogada de marketing”.

Jornal do Sisal
camera_alt Adriano Machado/ REUTERS

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou com apoiadores sobre a aprovação da Coronavac, vacina contra a Covid-19 produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac. Durante a conversa nesta segunda-feira (18/1), o presidente disse que a vacina é do Brasil.

“A Anvisa aprovou, não tem o que discutir mais. Havendo disponibilidade no mercado, a gente vai comprar e vai atrás de contratos que fizemos também, que era para ter chegado a vacina aqui. Então, tá liberado a aplicação no Brasil e a vacina é do Brasil, tá? Não é de nenhum governador não, é do Brasil”, disse ele.

No último domingo (17/1), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial da Coronavac e a vacina da Universidade da Oxford junto com a AstraZeneca. Após aprovação, o governo de São Paulo vacinou a enfermeira Mônica Calazans, 54 anos, foi vacinada na tarde de domingo, se tornado a primeira brasileira a ser vacina em território nacional.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante uma coletiva de imprensa, criticou o governador João Doria e chamou a ação de “jogada de marketing”. “O Ministério da Saúde tem em mãos, neste momento, as vacinas, tanto do Butantan quanto da AstraZeneca. Nós poderíamos, tanto num ato simbólico quanto numa jogada de marketing, iniciar a primeira dose em uma pessoa, mas em respeito a todos os governadores, prefeitos e todos os brasileiros, o Ministério da Saúde não fará isso. Não faremos uma jogada de marketing”, disse o ministro.