Política

Conselheiro do TCM é afastado após decisão do STF

Ele é investigado por supostamente ter aceitado propina de R$ 25 milhões do Sindipeças

Jornal do Sisal
Reprodução

Por Da Redação

Mário Negromonte conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-BA) foi notificado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que pediu seu imediato afastamento do cargo.

Ele é investigado por supostamente ter aceitado propina de R$ 25 milhões do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) e repassado o valor para campanhas eleitorais do PP.

Quem assumi seu posto é Cláudio Ventim. Na época ministro das Cidades de Dilma Rousseff, Negromonte se tornou réu no processo com base em acordo de colaboração premiada celebrado entre a força tarefa da Lava Jato do Ministério Público e o doleiro Alberto Youssef. Negromonte estava no cargo desde junho do último ano quando o ministro Marco Aurélio Mello suspendeu a medida cautelar que impunha o afastamento do tribunal.

Mesmo afastado, Mário receberá seu salário normalmente, que gira em torno de R$ 30 mil.