Política

Doria diz que Bolsonaro não tem que fazer “gestão no Whatsapp”

Doria ainda disse não se lembrar de nenhum convite vindo de Bolsonaro para reuniões ou manter diálogo com os governadores.

Jornal do Sisal
Eduardo Anizelli / Folhapress

Por Micael Levi

Em sua passagem em Salvador para curtir o carnaval o governador de São Paulo, João Dória (PSDB) reclamou da relação que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) tem com os governadores dos estados brasileiros.

Doria disse não se lembrar de nenhum convite vindo de Bolsonaro para reuniões ou manter diálogo com os governadores.

“Ele nunca convidou os governadores para uma reunião, para um diálogo federativo, ele que fala tanto em pacto federativo. Ele e o ministro Paulo Guedes, falam ‘menos Brasília e mais Brasil’, ora, se esse é o conceito e se eles querem o pacto federativo, tem que dialogar com os governadores”, ponderou João Doria ao acrescentar que Jair Bolsonaro “não tem que fazer gestão no Whatsapp”.

O governador paulista ainda saiu em defesa do governador da Bahia, Rui Costa (PT), pelos ataques de Bolsonaro. A justificativa de Doria é de que “foi uma coisa gratuita e um gesto de profundo desrespeito ao governador da Bahia”.

Doria assinou uma carta junto com 19 governadores e enviou ao presidente. No texto, são feitas críticas pelas declarações a respeito de Adriano Magalhães da Nóbrega, morto em confronto com a Polícia Militar da Bahia (PM-BA) em 9 de fevereiro, em Esplanada (BA).

“Essa carta assinada por 20 governadores foi um gesto solidário ao governador da Bahia Rui Costa que foi de maneira muito injusta agredido pelo presidente Jair Bolsonaro, você não pode lançar uma acusação a um governador de estado sem nenhum fundamento, sem ter certeza, convicção e elementos para isso”, argumentou Doria. “Você não pode desrespeitar alguém que é fruto da democracia”, completou.

Com informações de Ian Meneses / Jade Coelho / Bahia Notícias.