Política

Ex-prefeito de Conceição do Coité rebate acusação de que deixou cidade sem recursos: “Tem saldo sim”

Assis justificou que as folhas não foram pagas devido as transferências bancárias serem limitadas no último dia do ano

Micael Levi
camera_alt Reprodução/TV Servidor

O ex-prefeito de Conceição do Coité, Francisco de Assis (PT), publicou os valores deixados pela sua gestão por causa das acusações de que deixou a município no vermelho. A publicação foi feita nas suas redes sociais nesta quarta-feira (13/1).

Segundo Assis, o total de saldos deixado pela sua gestão foi de R$ 5.635.957,26 em contas da prefeitura. Marcelo Araújo (DEM), atual prefeito, criou uma comissão especial que apura os restantes a ser pago referente às folhas de pagamentos de servidores, solicitando ao ex-gestor os extratos das contas, as conciliações bancárias e a relação de empenhos em restos a pagar.

“Já disponibilizamos as informações mostrando que havia saldos”, escreveu em uma rede social. Assis justificou que as folhas não foram pagas devido as transferências bancárias serem limitadas no último dia do ano e os sistemas ficam lentos quando há chegada de recursos, ou os bancos fecham.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Essas folhas não foram pagas por conta das transferências bancárias serem limitadas no dia 31/12, quando ainda chegam recursos aos cofres públicos, mas os bancos estão fechados e os sistemas ficam lentos ou sem determinados serviços.”

No final ele desmente a informação passada pelo atual prefeito de que não há dinheiro nos órgãos públicos. “Tem dinheiro na Saúde, Educação, Assistência Social e Cultura. Tem dinheiro no Banco do Brasil e na Caixa“, finalizou. Em seguida fez uma série de publicações que mostra os extratos.

Mais sobre Governo Marcelo

Desde o início do mandato, o democrata, que foi oposição ao candidato de Francisco de Assis nas eleições de 2020, faz ataques a gestão anterior. No último sábado (9/1), ele publicou um vídeo que mostra os veículos sucateados “e sem a única condição de uso”.

Marcelo carrega consigo a missão de rebater as críticas dos petistas, seu principal oponente nas eleições municipais de 2020, e tem feito isso desde a posse já que sofrerá marcação depois de eleito. Este foi o primeiro posicionamento do petista em relação as acusações.

Enquanto trabalha para destruir a antiga gestão, as secretarias sofrem com a troca de gestor. Só a Secom (Secretaria de Comunicação) já demitiu duas pessoas. A professora Marinalva Carneiro também pediu demissão do cargo de secretária de Assistência Social devido a problemas pessoais, sendo substituída por Ionara Ramos.