Política

Férias de final de ano de Bolsonaro custaram quase R$ 900 mil aos cofres públicos

O presidente visitava praias, andava de moto aquática e visitava parque enquanto a Bahia sofria com fortes enchentes

camera_alt Reprodução/Redes Sociais

O presidente Jair Bolsonaro (PL) gastou R$ 899,3 mil dos cofres públicos em suas férias em Santa Catarina, onde passou sete dias. O dado foi obtido pelo jornal O Globo por meio do portal da Transparência, do governo federal.

Bolsonaro chegou ao estado no dia 27 de dezembro e permaneceu até a madrugada do dia 3 de janeiro, quando precisou ir à São Paulo para tratar de uma obstrução intestinal, provocada por uma ingestão de camarão não mastigado nas férias. Ele retornou a Brasília no dia 4 de janeiro.

O chefe do Executivo federal visitou praias, andou de moto aquática, apostou na mega-sena, visitou Beto Carrero e tirou fotos com apoiadores, enquanto a Bahia sofria com as chuvas que mataram 27 pessoas.

Quando questionado o porquê de não visitar o estado, Bolsonaro falou que ir a Bahia era uma “batalha perdida”. O presidente não interrompeu as férias para sobrevoar as áreas atingidas.

Ultimamente, os gastos do governo federal tem sido questionado. O secretário especial de Cultura, Mário Frias, fez uma viagem para Nova York que foi bastante criticada, quando sozinho gastou cerca de R$ 39 mil para conversar sobre um projeto de audiovisual com o lutador de jiu-jitsu aposentado Renzo Gracie. Frias viajou junto com o secretário-adjunto, Hélio Ferraz de Oliveira, que também gastou R$ 39 mil. Ao todo os dois gastaram R$ 78 mil dos cofres públicos, segundo o portal da Transparência. Em sua conta no Twitter, o secretário negou o valor pago, porém não informou qual seria a real quantia.