Política

Presidente da Funasa pede demissão após ser alvo da PF

Ele é alvo da operação Gaveteiro deflagrada pela Polícia Federal no prédio da Fundação

Jornal do Sisal
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Micael Levi

Ronaldo Nogueira pediu demissão do cargo de presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), em carta enviada ao presidente Jair Bolsonaro, nesta terça-feira (12/02/2020).

Ele é alvo da operação Gaveteiro deflagrada pela Polícia Federal no prédio da Fundação, a qual apura desvios do extinto Ministério do Trabalho por meio da contratação de uma empresa da área de tecnologia.

A PF pediu a demissão dele, mas foi negada pela Justiça. Nogueira é ex-deputado e ex-ministro do Trabalho do governo de Michel Temer (2016-2017). Ele assumiu a presidência da Funasa em 7 de fevereiro de 2019, e pediu demissão para de dedicar mais na defesa das acusações, que classificou ser infudadas.

Leia a carta na íntegra clicando aqui (203 KB).

Devido ao suposto envolvimento nos desvios, segundo informou O Globo, a permanência de Nogueira na presidência da Funasa teria ficado insustentável e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a quem a Funasa é subordinada, já havia assinado sua demissão. O jornal afirma que o substituto deve ser indicado pela bancada evangélica.