PUBLICIDADE
Região do Sisal

Covid-19: Prefeito de Valente se emociona ao anunciar agravamento da situação e novas medidas

O gestor inicia informando que o Hospital José Mota Araújo não tem estrutura para atender a demanda

Micael Levi
camera_alt ASCOM/Prefeitura de Valente

O prefeito de Valente, Ubaldino Amaral, se emocionou ao anunciar o agravamento da situação da Covid-19 no município sisaleiro. Em um vídeo divulgado nesta segunda-feira (15/3), ele anunciou medidas mais restritivas para amenizar o agravamento da doença respiratória.

O gestor inicia o vídeo informando que o Hospital José Mota Araújo não tem estrutura para atender a demanda, pois, segundo ele, há 13 internados na unidade de saúde e em outras cidades, como Itaberaba, Seabra e Salvador.

“Além do hospital municipal não ter condições de atender a demanda da quantidade de pessoas que está, também não temos para onde transferir. Não há mais condições de fazer regulação para Salvador e Feira de Santana para outros municípios por ai afora que fazem atendem a situação da pandemia do covid-19”, contou.

PUBLICIDADE

Ele ainda chamou atenção para a escassez de oxigênio para pacientes que a cidade sisaleira enfrenta. E que neste domingo (14/3), o secretário de Saúde conseguiu cilindro de oxigênio nas clínicas local e no município de São Domingos. “Outro problema é a dificuldade de oxigênio. Não tem mais oxigênio no mercado para vender”.

Em um áudio divulgado pela própria prefeitura neste domingo (13/3), o diretor diretor do hospital, Antônio Ricardo, chamou a atenção dos moradores pela ocupação dos leitos UTI dedicadas a Covid-19 e a falta de oxigênio.

Segundo o médico, a situação é de preocupação pela capacidade instalada em super lotação e o provável colapso. Ao todo são sete pacientes internados, sendo que existe apenas quatro leitos para tratar a Covid-19.

O prefeito também falou que o sistema de saúde está a beira do colapso pois tem chegado pacientes e o atendimento tem sido impossível.

“Estou no terceiro mandato e nunca vi uma situação tão complicada como esse momento da pandemia. Nos ajude nessa guerra”, disse o prefeito ao pedir a população que redobre os cuidados.

Em um reunião junto com secretários e representantes da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) para discutir a situação, apresentando novas medidas para o comércio local como tentativa de frear o avanço do vírus.

O decreto, assinado nesta segunda, determina o fechamento de todo o comércio local essencial e não essencial entre os dias 17 e 21 de março. A feira livre também foi suspensa nos dias 17, 18, 19 e 20. “Não era uma decisão que eu prefeito e a nossa equipe queria tomar”, afirmou.

O prefeito se emocionou ao falar sobre o número de mortes relacionadas ao coronavírus. “Pedi a você meu irmão valentense e a você minha irmã valentense, nos ajude pois não é bom porque não é bom que a gente esteja passando por uma situação difícil de ver seus irmãos saindo daqui pra fora”, pediu emocionado.

De acordo com o mais recente boletim da Secretaria Municipal de Saúde, desde o início da pandemia Valente registra 1.791 casos de Covid-19. Entre estes, 1638 são considerados recuperados e 15 óbitos. O números de pessoas com o sintomas da doença, os chamados ativos, chegou a 138.

Decreto

No decreto, a prefeitura de Valente determinou o fechamento dos serviços essenciais e não essenciais. O decreto também determina:

  • Todo o comércio poderá funcionar em delivery somente em horário comercial;
  • Fica suspendo a comercialização de bebidas alcoólicas em todo o comércio;
  • Academias não poderá funcionar até o dia 21 de março;
  • Restaurantes, pizzarias e trailers poderá funcionar somente no sistema delivery, sendo proibida a venda de bebidas alcoólicas;
  • Os postos de combustíveis poderá funcionar somente na modalidade comercial em horário comercial;
  • Feira livre está suspensa entre os dias 17,18, 19 e 20.

Assista ao vídeo do gestor:

  • Notícias sobre