Região do Sisal

Depois de alcançar 100%, Tucano chega a 25% da taxa de ocupação de leitos UTI Covid

Embora cientista apontem abril como pior mês da pandemia no Brasil, a cidade o inicia com a taxa de ocupação abaixo do 50%.

Micael Levi
camera_alt Divulgação/Prefeitura de Tucano

Quando a pandemia de covid-19 estava em seu auge e registrava disparadamente altos números de infecções e mortes, o município de Tucano chegou a taxa de 100% de ocupação dos leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) dedicados a Covid-19. Até o momento, o percentual chegou a 25%.

Março foi, sem dúvida, o mês que elevou a quantidade de casos e mortes na cidade sisaleira e a falta de leitos levou o sistema de saúde ao colapso. Medidas mais drásticas tiveram que ser tomadas, mas a prefeitura não optou colocar todos dentro de casa como os especialistas recomendam.

Agora em abril, embora cientistas da Fundação Oswaldo Cruz apontem para o pior mês pandêmico no Brasil, inicia-se com a taxa de ocupação abaixo do 50% de acordo com o monitor da Secretaria Municipal de Saúde atualizado nesta sexta (9/4).

Tucano registrou nesta sexta mais um morte provocada pela doença respiratória levando ao total 31 falecimentos. O que coloca na mesma casa de mortes de Araci, Conceição do Coité e Santaluz.

Desde o início da pandemia, o município registra 1.780 testes confirmados a partir de exames RT-PCR, sorológicos e testes rápidos. O órgão municipal considera 1.659 pessoas curadas e 90 ativos.

Embora a vacinação caminhe a passos lentos na Região do Sisal, Tucano já vacinou mais de 6,7 mil pessoas com as vacinas Coronavac e a de Oxford. O percentual de segunda dose aplicada chegou a 95,3%.