Região do Sisal

Guedes diz que auxílio pode voltar para metade dos beneficiários

Segundo o ministro, a retomada depende do acionamento de “cláusulas necessárias”.

Jornal do Sisal

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o auxílio emergencial pode voltar para metade dos brasileiros que receberam o benefício em 2020.

A afirmação foi feita nesta quinta-feira (4/1) ao fazer um pronunciamento no Ministério da Economia ao lado de Rodrigo Pacheco (DEM-MG), recém-eleito presidente do Senado.

Segundo o ministro, a retomada depende do acionamento de “cláusulas necessárias”. O auxílio emergencial foi criado no ano passado para socorrer trabalhadores informais e a famílias de baixa renda afetados pela pandemia de coronavírus. Inicialmente foi pago parcelas de R$ 600 e, depois, R$ 300.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A imprensa, Pacheco afirmou que se dirigiu ao ministério de Guedes para debater temas como a assistência social em tempos de pandemia.

“O auxílio emergencial, se nós dispararmos as cláusulas necessárias, dentro de um ambiente fiscal robusto, já mais focalizado – em vez de 64 milhões, pode ser a metade disso, porque a outra metade retorna para os programas sociais já existentes –, isso nós vamos nos entender rapidamente porque a situação do Brasil exige essa rapidez”, disse Guedes respondendo o senador.

  • Notícias sobre