Região do Sisal

Prefeito de Conceição do Coité institui Dia de Marielle Franco e é criticado por mulher não ser coiteense

O PL foi aprovado na Câmara Legislativa por unanimidade e foi votado no dia 19 de abril.

camera_alt

O prefeito de Conceição do Coité, Marcelo Araújo (DEM), sancionou na última quinta-feira (29/4), o projeto de lei que institui a criação do Dia de Marielle Franco como forma de enfrentar a crescente violência a mulheres negras, LGBTS e periféricas.

A integração do dia no calendário municipal de eventos gerou bastante críticas vindas do público de direita da cidade sisaleira. O motivo foi a quem a homenagem foi atribuída não é natural de Coité e nem tampouco baiana e sim do Rio de Janeiro.

O projeto de lei municipal é de autoria da vereadora Professora Elaine (PCdoB), que faz parte de um partido de esquerda. O PL foi aprovado na Câmara Legislativa por unanimidade e foi votado no dia 19 de abril.

Quem foi Marielle

A vereadora do Rio de Janeiro e o seu motorista Anderson Gomes foram assassinados com 13 tiros na noite de 14 de março de 2018, enquanto estavam voltando de um evento que palestrava sobre negritude, representatividade e feminismo, em um bairro no Rio de Janeiro.

Durante sua carreira, Marielle foi reconhecida internacionalmente, por ONGs como a Anistia Internacional, pela formulações de projetos de leis e pautas em defesa dos direitos da população LGBTI e das mulheres pretas e faveladas.

Com o forte impacto que a morte de Marielle provocou no mundo todo, as manifestações que perduram os dias de hoje continuam pedido justiça e buscando manter o legado vivo.