Saúde

China autoriza testes de vacina contra o coronavírus em spray

As autoridades chinesas deram luz verde aos testes clínicos de uma dezena de possíveis vacinas

Micael Levi
camera_alt

O governo chinês autorizou os testes clínicos em humanos de uma vacina contra o coronavírus em formato de spray nasal. A informação foi dada nesta quinta-feira (10/9), pelo portal de notícias sina.com.

O imunizante recebeu autorização da Administração Nacional de Produtos Médicos e deverá começar a primeira fase de teste em novembro com diversos voluntários na cidade de Dongtai, na província de Jiangsu. O spray foi desenvolvido pelas universidade de Xiamen e Hong Kong e pela Wantai, empresa de biotecnologia de Pequim.

Segundo os peritos ouvidos pelo veículo de comunicação estatal, demoraria cerca de um ano para finalizar as fases de testes, embora, se eficaz, a vacina poderia oferecer “dupla imunidade” contra o coronavírus causador da Covid-19 e a gripe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A razão para isso é que fragmentos da espícula (proteína que forma a “corona” que dá ao agente infeccioso seu nome) do SARS-CoV-2 têm sido usados em vírus atenuados da gripe sazonal comum.

Os desenvolvedores do projeto esperam que a administração da vacina por spray nasal reproduza a via habitual de transmissão do vírus respiratório e, assim, induza uma resposta imunológica, embora ainda não se saiba se a proteção gerada duraria mais ou menos do que se fosse injetada.

Os pesquisadores até o momento observaram efeitos colaterais leves, como congestão nasal, embora possa causar asma ou falta de ar. Se aprovado, o modelo facilitaria as campanhas de vacinação e também seria mais fácil de produzir.

A China, que foi o primeiro epicentro da doença, está autorizando dezenas de vacinas contra o SARS-CoV-2, das quais quatro já estão na terceira fase.