Saúde

Mulheres que tomam suplementos vitamínicos exercem discreta proteção ao Covid-19, diz estudo

O estudo observacional analisou 1,2 milhão de pessoas e só apresentou proteção discreta a mulheres.

Jornal do Sisal
camera_alt

Um estudo feito por pesquisadores do King’s College London, no Reino Unido, mostra que suplementos vitamínicos exercem uma discreta proteção contra a Covid-19 em mulheres. O estudo é observacional e de um não ensaio clínico.

Foram analisadas 1,4 milhão de pessoas no Reino Unidos, Estados Unidos e Suécia, apresentando que mulheres que tomavam esses suplementos apresentavam 13% menos risco de contrair. Vitamina D, probióticos e Ômega-3 também revelaram ter um pequeno efeito protetor, de 9%, 14% e 12%, respectivamente. Já outros suplementos, como Vitamina C, zinco e alho não causaram efeito algum.

De acordo com os pesquisadores, há duas hipóteses para o fato da proteção apenas nas mulheres: Ter uma proteção pode estar relacionado ao sistema imunológico entre os homens e mulheres, ou de que as mulheres podem ter sua suplementação com mais precisão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eles também chamaram de “viés saudável” para explicar os resultados, ou seja, pessoas que tomam esses suplementos têm a maior probabilidade de cuidar da saúde e adotar as medidas protetivas. Mas ele ressaltam que se isso fosse a causa dos resultados, todos os tipos de suplementos teriam mostrado proteção a doença.

“Por essa razão, não podemos fazer recomendações com base nos dados até que tenhamos mais evidências sobre o papel dos suplementos por meio de ensaios clínicos. Portanto, recomendamos seguir as diretrizes do Serviço Nacional de Saúde (NHS) sobre o uso de vitaminas como parte de uma dieta saudável e equilibrada”, afirmou Cristina Menni, principal autora do estudo.